Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A voz do silêncio

A voz do silêncio

I remember everything...


Alala

08.09.19

"I could hold back the rain

Would you numb the pain

'Cause I remember everything

 

If I could help you forget

Would you take my regrets

'Cause I remember everything"

 

Uma música triste mas que gosto muito ...

Sempre fiquei na dúvida acerca da mensagem que pretendiam passar. Tinha sempre necessidade de ouvir duas ou três vezes... 

Penso que se trate da historia de alguém que viveu num seio familiar conturbado e que se recorda de tudo como se ainda fosse criança. 

Alguém que não se esquece... 

E ainda assim pede desculpas por não ter sido bom filho o suficiente. 

Estarei correta? 

Qual é a vossa interpretação? 

As palavras por vezes também são fontes de enganos e nem sempre se consegue a interpretação mais correta. 

E vocês gostam da banda? 

Five finger death punch...É impossível ouvir e não ficar com lágrimas no canto do olho. 

Sorry but I remember everything!!! 

 

O lugar do perigo


Alala

03.04.19

Na rua, na escola, na casa de um amigo, em casa...

“Acto de cobardia sem nome. Porque nos atinge no local onde nos deveríamos
sentir mais amados, porque é sempre uma agressão de um ser mais forte sobre
outro que se encontra mais debilitado. E, a menos que existam sinais exteriores
relevantes, é particularmente difícil adivinhar o que se passa no interior das casas
ou, pior, no interior de cada um” (Sarmento, 2005: 11).

Como cresce uma criança exposta a comportamentos conturbadores?Tiram-lhe os sonhos, destroem a sua personalidade, intimidam, criticam, manipulam, servem de saco para o lixo todo que existe dentro das figuras parentais...Crescem com essa referência, tornam-se refens dos seus próprios medos e tormentos e em alguns casos serão futuros agressores! 

 

Era eu um bebe 

e tinha um brilho nos olhos que irradiava quando olhava para ti minha mãe,

naquele momento eras só tu e eu 

até me roubares os sonhos e destruires o que de melhor havia em mim

já não me alimentavas de amor mas de raiva e ódio

eu que sempre te vi como o meu porto seguro

as discussões constantes, os gritos, as bofetadas

cada uma que via ou sentia fazia de mim um ser mais indefeso e pequenino

inseguro, triste e sem amor para dar...

encheste-me de brinquedos para compensar os teus delírios e com isso roubaste-me a vida...

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D